Haute Couture is art!

Para mim, alta costura é uma forma de arte.


No meu subconsciente, aparecem sempre mulheres lindíssimas - às vezes, não daquela beleza física padronizada (a beleza é um conceito tão englobante e passível de discução, não acham?), vestidas com vestidos de tecidos feitos e tingidos exclusivamente para aquele efeito.


Alta costura, não é bem o que se comumente se chama de moda. Moda, do ponto de vista da Estatística descritiva - é aquela que detém o maior número de observações, ou seja, o valor ou valores mais frequentes. Desta forma, moda, não é uma coisa única; alta costura, por outro lado, é-o.


Coisas especiais têm outro gosto, sempre tão diferente...


É fascinante o grau de pormenores levados à escala artesanal, o poder dos detalhes, o corte, entre outros. Evidentemente, o número de mulheres que tem acesso a este tipo de preciosidade, segundo alguns dados recentes, é de de apenas 800 mulheres à escala mundial. Ou seja, em 6 biliões de habitantes neste planeta azul, a que chamamos Terra, apenas este número ínfímo tem acesso a estas cerejas gourmet, chamemos-lhe assim.


Noutro ponto, embora existam muitas empresas a produzir moda, apenas os constantes da lista abaixo são considerados membros oficiais das maisons de alta-costura pela "Federação Francesa da Costura, do Prêt-à-porter, dos Costureiros e dos Criadores de Moda."



Anne-Valérie Hash (2007)
Chanel (1909)
Christian Dior (1946)
Christian Lacroix (1987) - Perdeu o direito de "Alta Costura" em 2009
Dominique Sirop (2003)
Emanuel Ungaro (1965)
Jean-Paul Gaultier (1977)
Givenchy (1952)
Franck Sorbier (1991)
Maurizio Galante (2007)


No início de 2008, havia quatro membres correspondants (casas estrangeiras):


Elie Saab
Giorgio Armani
Maison Martin Margiela
Valentino

As cerejas que vos deixo hoje, são únicas, exclusivas, raras e pouco acessíveis. Fazem parte da coleção outono/ inverno 2011.


Lambuzem-se, com os olhos, por favor.






Share:

0 comentários

Thank you!