Blue is my religion




A minha religião é o azul do céu e do mar.

É a música. 

É a gentileza com que tratamos as pessoas, sejam elas conhecidas ou desconhecidas.

É o universo infinito e tudo de bom e de mau que lhe lançamos e que, mais tarde ou mais cedo, acabamos por ter em igual retorno.

A minha religião é o verão. A pele salgada do mar. Os dias quentes que nos amolecem o corpo. Os fins de tarde regados a bebidas frescas.

A minha religião é feita de sorrisos, porque sim. Daqueles sem causa nem motivo.

A minha religião também é feita de um dia de cada vez. É cheia de avanços, de retrocessos, de paragens estratégicas.

A minha religião é feita de quedas, de lágrimas, de inseguranças. E depois, é feita de lições. Algumas que consigo aprender logo à primeira e outras, que por não estar com atenção, sou obrigado a repetir.

A minha religião é tentar sempre fazer o melhor. Mas, muitas vezes, falhar. Tentando não ficar demasiado tempo a pensar na falha, mas acreditar que a próxima será melhor.

A minha religião alimenta-se de arte. De livros. De pessoas e animais.

É uma religião cheia de palavras. Mas também de silêncios. Verdade seja dita, a minha religião tem muito mais silêncios do que palavras.

A minha religião diz-me que devo respeitar a religião dos outros.

É uma religião feita de camadas. Que vou acrescentando ou retirando. De dualidades. De coisas que me fazem tanta falta e de outras que não me fazem falta alguma.

Acima de tudo, é uma religião que me diz que o aqui e o agora são sempre os mais importantes. Porque do resto, nunca se sabe.











My religion is the blue sky and sea.

It's the music.

It is the kindness we treat people, whether known or unknown.

It is the infinite universe and everything good and bad that we launched him and later or earlier we ended up having an equal return.

My religion is the Summer. The salty skin of the sea. The hot days that soften our bodies. The late afternoon washed down with cold drinks.

My religion is made of smiles, just because. Those without cause or reason.

My religion is also made of a day at a time. It is full of advances and retreats, strategic stops.

My religion is also made of drops of tears, insecurities. And then, of lessons. Some I can learn right at the first time and others that I don´t pay that much attention so I have to repeat them.

My religion is always trying to do the best. But often fail. Trying not to get too much time to think about failure, but think that the next will be better.

My religion feeds on art. Books. People and animals.

It is a religion full of words. But also silences. Truth be told, my religion has more silences than words.

My religion tells me that I have to respect the religion of others.

It is a religion made of layers. I will adding or removing. Dualities. Things that make me so missed and others that do not make me miss any.

Above all, it is a religion that tells me that the here and now are always the most important. For the rest, you never know.


P.


Share:

0 comentários

Thank you!